Rochedos

 

Rochedos

Período recomendado: PRIMAVERA

Muitas das serras estremenhas estão coroadas por grandes rochedos de quartzito, que emergem sobre a densa orla de vegetação do bosque mediterrânico ou das campinas. A segurança das rochas, muitas vezes inacessíveis, e a densa barreira que a vegetação das ladeiras constitui, propiciam o facto de algumas aves seleccionarem estes lugares para nidificarem e evitarem desta forma os incómodos humanos ou dos seus predadores naturais.

Entre as típicas aves nidificantes dos rochedos encontram-se muitas aves de rapina ameaçadas, tais como a águia de Bonelli, a águia-real, o falcão peregrino e o mocho-real. Mais de 40% da população de cegonhas-pretas escolhem os rochedos de quartzito para nidificarem, em vez das grandes árvores.

Este habitat também é muito específico de algumas espécies durante a reprodução, tal como acontece com a andorinha das rochas, o andorinhão-real, o andorinhão cafre, o chasco preto, o melro-azul, o melro das rochas, a cia, a gralha, o corvo e a gralha-de-bico-vermelho. No Inverno, em serras de altitude média e alta pode-se observar a ferreirinha-alpina, e muito excepcionalmente a trepadeira-dos-muros.

Os melhores rochedos para se avistarem aves encontram-se nas seguintes ZEPA's: “Dehesas de Monfragüe y su entorno” (Salto del Gitano, Portilla del Tiétar), “Embalse de Orellana y Sierra de Pela” (Puerto Peña), “Sierra de Villuercas y Valle del Guadarranque” (Pico Villuercas), “Canchos de Ramiro y Ladronera” (Sierra de la Garrapata), “La Serena y sierras periféricas” (Sierra de Tiros), “Sierras de Peñalsordo y Capilla” (Torozo), “Sierra de la Moraleja”, “Sierra de Hornachos” e “Sierras centrales y Embalse de Alange”.